Donna Donnolla
DESIGN ÚNICO
Confecção própria
Donna Donnolla
PRODUTOS COM
Garantia de banho
Donna Donnolla
SEJA UMA
Consultora
ATENDIMENTO VIA WHATSAPP
(19) 99761--1583

Siga-nos:

MUNDO EMPRESARIAL

  • Evite utilizar sua peça na praia, pois o contato com água salgada e a areia, certamente, irá riscá-las. Além do fato de água salgada ter um alto poder oxidante, que leva a um eventual escurecimento.
  • É aconselhável que vc a retire quando for tomar banho de chuveiro ou piscina, a fim de evitar o contato com produtos de limpeza, higiene pessoal e produtos químicos que em geral, podem prejudica-la.
  • Não deixe que ela entre em contato com produtos cosméticos.
  • Passe perfume e use spray de cabelo antes de coloca-la, esperando alguns minutos para que evapore o excesso.
  • Evite usá-las nos serviços de jardinagem, o manuseio com a terra e o adubo químico poderá afetá-la.
  • Cuidado ao usar o termômetro. O mercúrio é corrosivo e , dependendo da área de contato, a recuperação torna-se impossível.
  • Guarde suas peças separadas uma das outras para que não risquem.

Devido suas próprias características, as pedras estão sujeitas à uma pequena variação de tonalidade.

Semijoia esmaltada ou também conhecidas como semijoias resinadas são super descoladas e alegres, foram lançadas no verão e conquistaram um lugar especial em todas as estações, pois além das cores alegres e vibrantes, até os tons de cores pastéis ou mais opacas deram certo.

As semijoias esmaltadas estão fazendo o maior sucesso e estão super na moda, se tornando as queridinhas do momento. Agora vou explicar para vocês como são feitas as semijoias esmaltadas: elas são feitas com uma resina aplicada sobre a semijoia.Essa resina é como se fosse um esmalte, que após aplicado sobre a semijoia,  passa-se um verniz para dar o acabamento e brilho.As semijoias esmaltadas ficam lindas misturadas com zirconias, também combinam com semijoias sem pedras, lisas e mescladas a outros tipos de pedras.Você pode abusar nas cores das esmaltadas mesclando com pedras do mesmo tom. Separamos algumas dessas semijoias esmaltadas para vocês conhecerem.

Anel esmaltado

Que as semijoias com detalhes esmaltados está super em alta e na moda você já sabe, agora que tal usar um look completo e ainda por cima anéis esmaltados.Mistura de esmaltação e pedraria é super tendência e acima de tudo belíssima.

Comprar Anel da moda esmaltado em turmalina em ródio negro

Brincos esmaltados

Há muitos modelos de brincos da nossa coleção esmaltadas, alguns super diferentes, que são ótimos para quem busca uma semijoia especial, mas com o formato clássico.

Comprar Argola da moda esmaltada em laranja com zircônia

Delicadeza e modernidade juntas , é o que define os colares esmaltados, imagine ainda se forem religiosos e com berloques?Misture eles com colares longos e faça uma belíssima composição.

Comprar Colar esmaltado em fúcsia gota ultravioleta fusion

Pulseiras Esmaltadas

Mix de pulseiras já é um charme, agora imagina esse mix com berloques esmaltados???Misture com braceletes e pulseiras diferentes!!! Arraso na certa.

Comprar Pulseira com berloque e coração esmaltado em ouro

Braceletes Esmaltados

Os bracelete esmaltados são semijoias com muita sofisticação e design, podendo estar presente em diversos looks desde os mais básico até os mais sofisticados, muito versátil e principalmente muito alegre por conta de suas cores.

Comprar Bracelete de coração esmaltado semijoia resinada

Fonte(s): https://www.vivansemijoias.com.br/blog/como-sao-feitas-as-semijoias-esmaltadas/p

O Brasil vive um momento de incertezas econômicas nos últimos anos e, por isso, é natural ter mais cautela ou até mesmo esperar para investir nos planos de expansão de um negócio. Por outro lado, aqueles empreendedores que atuam no mercado de joias e semijoias estão se sentindo mais animados, pois as perspectivas são positivas.

Na contramão de outros setores, as joalherias encontram-se em um período de positividade, em que não são sentidos os efeitos da crise econômica, o que torna esse segmento um dos mais promissores do momento. Entre as principais vantagens da área, pode-se citar:
• Maior percepção da qualidade dos produtos por parte dos consumidores;
• Variedade de portfólio;
• Mais possibilidades de canais de venda;
• Qualidade da matéria-prima disponível;
• Demanda interna mais aquecida.

É importante lembrar que o país é um dos quinze maiores produtores de joias em ouro do mundo. No total, são cerca de 22 toneladas de peças criadas e comercializadas no Brasil, de acordo com os dados do IBGM (Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos). O órgão realizou a pesquisa com 261 indústrias do setor de artefatos de pedra, lapidação, joalheria de ouro, folheados e bijuterias. O Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos é nacional e atua sem fins lucrativos.

Atualmente, a maioria dos empreendimentos brasileiros estão confiantes na expansão da economia. Neste caso, é sempre preciso acompanhar de perto a evolução do segmento e acessar as informações referentes ao comportamento do consumidor. De todo modo, é importante salientar que o mercado de semijoias e bijuterias tem auxiliado nesse cenário de crescimento econômico da indústria.

Ao todo, existem cerca de três mil empresas de semijoias em atividade, que juntas faturam, aproximadamente, R$ 600 milhões. Tais números tendem a melhorar ainda mais, uma vez que, do total de exportações de produtos folheados brasileiros, 70% vai para Alemanha, Canadá e Estados Unidos.

Causas do crescimento

O desenvolvimento promissor do mercado de semijoias se deve, em grande parte, à criatividade dos empreendedores. Além disso, a produção com uso de materiais diversos e de qualidade é favorável (como os ecologicamente corretos, por exemplo). O empregar de novas tecnologias de produção também permite uma melhora na oferta de produtos no mercado.

Grande parte dos consumidores procura por peças únicas, de qualidade e que tenham um preço acessível. Dessa forma, muitas peças são produzidas em titânio, paládio e aço inox. Inclusive o aço inox é uma forte tendência para confecção de joias masculinas.

O crescimento do segmento masculino de semijoias também funcionou como combustível e trouxe aquecimento para o setor. A cada dia, mais homens procuram joias, não apenas para presentear, mas também para uso próprio.

Mais investimento e competitividade para o setor

Com o aquecimento do mercado, o setor tem investido cada vez mais em tecnologia. Essa é uma estratégia fundamental para ampliar toda a cadeia produtiva e aprimorar o atendimento ao mercado exterior com excelência. São alguns recursos que oferecem maior qualidade aos processos e produtos finais. Estão entre eles:
• Insumos;
• Máquinas importadas;
• Ferramentas;
• Equipamentos;
• Monitoramento dos canais de comunicação;
• Softwares de gestão;
• Sistema de câmeras de segurança.

O aperfeiçoamento das técnicas de produção e uma atenção especial ao atendimento das tendências também são diferenciais, principalmente na hora de driblar a concorrência. Modelagem de joias 3D, por exemplo, a mistura de materiais e o acompanhamento dos destaques da moda ao redor do mundo possibilitam a projeção de peças diferenciadas e únicas, especialmente quanto ao estilo e ao design.

As semijoias da Bellare são lindas, diversificadas e pensadas para atender mulheres e homens de todas as idades e estilos.

Fonte(s): https://www.terra.com.br/noticias/dino/mercado-de-joias-e-semijoias-tem-expectativa-de-crescimento-de-ate-6-ao-ano,4c4a5b15886e87dd007e0b3c81f67fa9ls4zelsf.html

A crise econômica enfrentada pelo Brasil impactou positivamente o mercado das semijoias. Por conta de um encarecimento do custo de vida, as classes A e B, consumidores em potencial de joias, passaram a se interessar pelas semijoias. Por outro lado, as classes C e D que tiveram um aumento no poder de compra, também foram relevantes para aquecer a economia das semijoias.

Desde 2015, uma pesquisa do McKinsey Global Institute previu um crescimento de até 6% nas vendas de semijoias, joias e bijuterias. As tendências de mercado indicam que até o ano de 2020, as vendas anuais do segmento possam atingir até 250 bilhões de dólares por ano à nível mundial.

O Brasil que ocupa a 34ª posição entre os países que mais exportam nesse setor, também tem um crescimento expressivo nas vendas de semijoias. E isso acontece por conta da mudança de comportamento dos consumidores, resultado de um período de crise econômica.

O público A e B que optava pelo investimento em joias, demonstra uma tendência maior às compras de semijoias. No Brasil, há cerca de 3.000 empresas de semijoias, que apresentam peças feitas a partir recursos tecnológicos, como impressoras 3D, que garantem produtos de boa qualidade.

Além da qualidade, muitos quesitos são levados em consideração pelo público, na hora de investir em uma semijoia. Entre eles se destaca a facilidade de fazer compras através de plataformas online. O que inclui vantagens como poder escolher as peças a vontade, ter garantia segura para os produtos e evitar a locomoção até uma loja física. Além disso, há a facilidade de saber sobre toda a reputação e confiabilidade de uma loja virtual, já que essas informações estão certificadas no site.

O aumento do poder de consumo das classes C e D nos últimos anos, também demonstrou ser relevante para o crescimento das vendas de semijoias. Os consumidores passaram a buscar produtos com melhor qualidade, mesmo que tenham preços um pouco mais elevados do que as bijuterias.

Para as classes A e B, o preço também é um diferencial. Ao optar por uma semijoia, no lugar de uma joia autêntica, é possível economizar uma porcentagem significativa do valor. E com a recente elevação do custo de vida, a situação econômica tem sido amplamente levada em consideração na hora de comprar acessórios.

Fonte(s): https://www.terra.com.br/noticias/dino/vendas-de-semijoias-aumentam-devido-a-mudanca-de-comportamento-dos-consumidores,370d8642cf935c0e83d7f598923ffe6309kmjms0.html

O brinco Ear Cuff surgiu na cultura Indiana, e ganhou força como tendência na moda em um desfile Primavera/Verão da marca Chanel em 2012.
Hoje o brinco é uma alternativa para mulheres que preferem brincos menores mas
que se destaquem ao invés dos brincos grandes e pesados.
Eles envolvem a borda orelha, podendo ser usados dos dois lados ou com a opção de maxi Ear Cuff em apenas uma orelha e na outra um brinco menor e discreto.
Nossas sugestões são:

  • Um penteado preso dando a ele destaque
  • Modelos menores de Ear cuff com piercing fake.
  • Para as mulheres que tem dois furos podem combinar um Ear Cuff no segundo furo e um brinco Ear Jacket no primeiro.

Eles são um sucesso entre as famosas e nas passarelas, podendo ser chamativos com lindas pedras de diversas cores.
Agora que já vimos as diversas opções de uso, escolha o que mais combina com você e, tenha a certeza de que você fará um grande sucesso!

A pedra fusion é produzida em laboratório assim como a maioria das pedras usadas em semijóias. Ela é feita da fusão de cristais com fragmentos de pedras verdadeiras, seu efeito craquelado torna cada pedra única, fazendo com que se aproxime muito de uma pedra natural.

As pedras fusion dão um destaque incrível na composição de um look, podendo usar uma roupa mais discreta e deixar que a pedra roube a atenção, com suas cores, formatos e tamanhos.

Com os colares podem ser feitas composições usando duas pedras de cores diferentes e um choker, o que combina com vários tipos de decote.

Para o trabalho você pode escolher os modelos menores de cores mais neutras como azul ou verde escuro.

Por fim você pode combinar seu conjunto de pedra fusion tanto para ocasiões mais elegantes quanto no dia a dia.

Quando Elisângela Machado, 44, começou a comprar e revender peças folheadas a ouro e prata para complementar o seu salário de R$ 1.300 que ganhava como balconista, ela não imaginava que a atividade daria tão certo e que passaria a ser a principal fonte de renda da família.

O pequeno negócio, que se resumia à venda de peças para conhecidos da cidade de Duque de Caxias (RJ), virou a rede Mapa da Mina, de semijoias folheadas a ouro e prata, que faturou R$ 12 milhões no ano passado. Hoje, a empresa tem uma fábrica para produzir as suas próprias peças e 15 lojas (quatro próprias e 11 franquias).

Elisângela começou o negócio sozinha, em 1994. Em alguns meses, ela já contava com uma rede com 10 revendedoras, que comercializavam as peças em mostruários que levavam na bolsa. Seu marido, Jamil Machado, 49, também ajudava a escolher as peças e a montar os kits de venda.

“Eu tinha um amigo que vendia semijoias na cidade vizinha. A procura era tão grande que ele começou a contratar revendedoras. Como eu sempre gostei de vender e de conversar com as pessoas, achei que poderia ter sucesso fazendo o mesmo trabalho na minha cidade. Por isso resolvi investir.”

No ano seguinte, com um investimento que equivale hoje a R$ 50 mil, ela e o marido abriram a primeira loja. Quando inauguraram a segunda unidade, em 1999, o marido saiu do emprego de técnico de informática para ajudá-la a tocar o negócio.

Franquia custa a partir de R$ 50 mil

Em 2014, a empresa virou franquia e começou a comercializar lojas e quiosques. Confira os dados de investimento e faturamento fornecidos pela empresa:

Express 

São torres que podem ser montadas em salão de beleza ou em outras lojas maiores. O modelo foi lançado na 26ª ABF Franchising Expo 2017, realizada neste mês. Ainda não há unidades comercializadas. O faturamento e o retorno do investimento são estimativas dadas pela empresa.

  • Investimento inicial: R$ 50 mil (taxa de franquia e custo de instalação. Não exige capital de giro)
  • Faturamento médio mensal: R$ 20 mil
  • Lucro médio mensal: R$ 4.600 (23% do valor do faturamento)
  • Prazo de retorno do investimento: a partir de 12 meses

Quiosque

  • Investimento inicial: R$ 100 mil (inclui capital de giro, taxa de franquia e custo de instalação)
  • Faturamento médio mensal: R$ 35 mil
  • Lucro médio mensal: R$ 5.250 (15% do valor do faturamento)
  • Prazo de retorno do investimento: em até 24 meses

Loja

  • Investimento inicial: R$ 150 mil (inclui capital de giro, taxa de franquia e custo de instalação)
  • Faturamento médio mensal: R$ 70 mil
  • Lucro médio mensal: R$ 10,5 mil (15% do valor do faturamento)
  • Prazo de retorno do investimento: a partir de 18 meses

Fábrica produz 800 mil peças por ano

Segundo Jamil, a fábrica do casal produz cerca de 800 mil peças por ano, como colares, brincos, pingentes, anéis e pulseiras.

O produto mais barato é um brinco de bolinha (R$ 4,50). O mais caro é uma gargantilha de coração com pedras (R$ 141,90).

Semijoias tem público cativo

Segundo Ana Vecchi, sócia-diretora da Vecchi Ancona – Inteligência Estratégica, o segmento de joias, semijoias e bijuteria fina tem um bom desempenho mesmo em época de crise. “É um público que gosta de novidades e que não deixa de comprar em períodos de crise.”

Vecchi afirma também que as torres com semijoias, que são o novo modelo de negócio da empresa, já vêm sendo utilizadas por outras redes e têm se mostrado bem atrativas. “É comum encontrar essas torres em salões de beleza ou em lojas maiores, e o que se vê é que os empreendedores conseguem vender bem.”

A especialista diz, no entanto, que qualquer franquia precisa ser avaliada com muita cautela antes de fechar o negócio. “É preciso fazer um estudo sobre a viabilidade dos valores que a franquia está vendendo, para não ter uma surpresa desagradável depois. Principalmente quando há um novo modelo de negócio que ainda não foi comercializado.

Fonte: https://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2017/06/29/vendia-semijoia-para-complementar-renda-de-r-1300-e-hoje-fatura-r-12-mi.htm

A parte do corpo da mulher que mais deve ser valorizada é a parte do pescoço e vamos dar algumas dicas para que você possa fazer isto de forma a ressaltar o seu estilo.

Aliás, você sabia que a palavra colar, deriva do latim collum e seu significado é pescoço, fica ai um aprendizado a mais para você.

As medidas dos colares variam de 35 até 90 cms de comprimento e até a medida de 55 cms, a variação ocorre de 5 cms em 5 cms de diferença entre um colar e outro.

Escolhendo seu colar

– 30 a 35 cms: estes colares são conhecidos como gargantilhas ou choker e são usadas próximo a linha do pescoço. É possível usar com pingentes e com outros colares fazendo composição. São indicados para as mulheres que possuem grande volume de seios e, estas devem evitar os colares que terminam embaixo ou acima do busto.

– 40 e 45 cms: estes colares também são curtos, sendo que o colar de 40 cms também pode ser usado como uma choker e o de 45 cms como um colar curto, este comprimento é conhecido como princesa. Este tipo de colar, fica ótimo para quem tem pouco busto e pode abusar de peças extravagantes e volumosas.

– 50 a 60 cms: este colar fica posicionado um pouco acima do busto, destacando o colo. O colar de 50 cms é conhecido como matinne. Estes tamanhos de colar é muito versátil e pode ser usado com todos os tipos de roupas.

– 70 a 60 cms: são correntes longas, usadas em cima da linha do busto, valoriza o corpo e alonga silhueta.

– 90 cms: são colares bem longos que ultrapassam a linha do busto e, geralmente são usados com duas voltas.

Mulheres que possuem o pescoço fino, o ideal é usar colares curtos e arredondados, evitando os modelos em V.

E para aquelas que possuem o pescoço grosso, pode usar correntes médias, com pingentes simétricos, de composição vertical. Evite usar correntes curtas e pingentes delicados.

Há ainda mais uma dica: as mulheres que tenham ombros largos devem usar colares que criem uma linha central alongada, para chamar a atenção ao resto do corpo, como por exemplo a cintura. Evite usar colares curtos ou muito próximo ao pescoço. Já para as que tem ombros estreitos, usem colares delicados sem muito volume, como por exemplo, um colar com um ponto de luz. Nunca use colares grandes e cheios de pingentes pendurados.

Mas de todo, o que vale é você sentir-se bem consigo mesma e naturalmente o brilho que há em você, será compartilhado com os acessórios que usar.

BOA ESCOLHA!

No total, são cerca de 22 toneladas de peças criadas e comercializadas no Brasil, de acordo com os dados do IBGM (Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos). O órgão realizou a pesquisa com 261 indústrias do setor de artefatos de pedra, lapidação, joalheria de ouro, folheados e bijuterias. O Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos é nacional e atua sem fins lucrativos.

 

O Brasil vive um momento de incertezas econômicas nos últimos anos e, por isso, é natural ter mais cautela ou até mesmo esperar para investir nos planos de expansão de um negócio. Por outro lado, aqueles empreendedores que atuam no mercado de joias e semijoias estão se sentindo mais animados, pois as perspectivas são positivas.

Na contramão de outros setores, as joalherias encontram-se em um período de positividade, em que não são sentidos os efeitos da crise econômica, o que torna esse segmento um dos mais promissores do momento. Entre as principais vantagens da área, pode-se citar:
• Maior percepção da qualidade dos produtos por parte dos consumidores;
• Variedade de portfólio;
• Mais possibilidades de canais de venda;
• Qualidade da matéria-prima disponível;
• Demanda interna mais aquecida.

É importante lembrar que o país é um dos quinze maiores produtores de joias em ouro do mundo. No total, são cerca de 22 toneladas de peças criadas e comercializadas no Brasil, de acordo com os dados do IBGM (Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos). O órgão realizou a pesquisa com 261 indústrias do setor de artefatos de pedra, lapidação, joalheria de ouro, folheados e bijuterias. O Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos é nacional e atua sem fins lucrativos.

Atualmente, a maioria dos empreendimentos brasileiros estão confiantes na expansão da economia. Neste caso, é sempre preciso acompanhar de perto a evolução do segmento e acessar as informações referentes ao comportamento do consumidor. De todo modo, é importante salientar que o mercado de semijoias e bijuterias tem auxiliado nesse cenário de crescimento econômico da indústria.

Ao todo, existem cerca de três mil empresas de semijoias em atividade, que juntas faturam, aproximadamente, R$ 600 milhões. Tais números tendem a melhorar ainda mais, uma vez que, do total de exportações de produtos folheados brasileiros, 70% vai para Alemanha, Canadá e Estados Unidos.

Causas do crescimento

O desenvolvimento promissor do mercado de semijoias se deve, em grande parte, à criatividade dos empreendedores. Além disso, a produção com uso de materiais diversos e de qualidade é favorável (como os ecologicamente corretos, por exemplo). O empregar de novas tecnologias de produção também permite uma melhora na oferta de produtos no mercado.

Grande parte dos consumidores procura por peças únicas, de qualidade e que tenham um preço acessível. Dessa forma, muitas peças são produzidas em titânio, paládio e aço inox. Inclusive o aço inox é uma forte tendência para confecção de joias masculinas.

O crescimento do segmento masculino de semijoias também funcionou como combustível e trouxe aquecimento para o setor. A cada dia, mais homens procuram joias, não apenas para presentear, mas também para uso próprio.

Mais investimento e competitividade para o setor

Com o aquecimento do mercado, o setor tem investido cada vez mais em tecnologia. Essa é uma estratégia fundamental para ampliar toda a cadeia produtiva e aprimorar o atendimento ao mercado exterior com excelência. São alguns recursos que oferecem maior qualidade aos processos e produtos finais. Estão entre eles:
• Insumos;
• Máquinas importadas;
• Ferramentas;
• Equipamentos;
• Monitoramento dos canais de comunicação;
• Softwares de gestão;
• Sistema de câmeras de segurança.

O aperfeiçoamento das técnicas de produção e uma atenção especial ao atendimento das tendências também são diferenciais, principalmente na hora de driblar a concorrência. Modelagem de joias 3D, por exemplo, a mistura de materiais e o acompanhamento dos destaques da moda ao redor do mundo possibilitam a projeção de peças diferenciadas e únicas, especialmente quanto ao estilo e ao design.

As semijoias da Bellare são lindas, diversificadas e pensadas para atender mulheres e homens de todas as idades e estilos.

Fonte: https://www.infomoney.com.br/negocios/noticias-corporativas/noticia/7447797/mercado-joias-semijoias-tem-expectativa-crescimento-ate-ano